Campus Party Brasil 2017 dá show de conhecimento e inovação

A Campus Party Brasil chegou a 10ª edição no Brasil e foi realizada entre os dias 31 de janeiro e 5 de fevereiro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Considerada uma das maiores experiências tecnológicas dos principais setores econômicos, a campus foi novamente um festival de inovação, palco da criatividade que valoriza novos talentos.

Depois de 5 dias de eventos, noites mal dormidas, dezenas de xícaras de cafés e pernas exaustas, o coordenador de TI da Única Propaganda, Tiago Correa da Silva e a coordenadora de criação Fabíola Luchezi voltaram do eventos entusiasmados para aplicar o conhecimento e dividir as experiências.

A campus apresentou um universo de muitas ideias, com soluções tecnológicas e sustentáveis, em uma maratona com 750 palestras. Muitos assuntos entraram em debate em meio a nove palcos diferentes com programações simultâneas, entre os temas estavam: inteligência artificial, cidades inteligentes, cibersegurança, big data, empreendedorismo e o foco na personalização das pessoas.

Entre as principais atrações deste ano estava o grafiteiro Eduardo Kobra, a astrofísica Duilia F. de Melo, Andres de Leon, chefe de operações da Hyperloop Transportation Technologies, Mitch Lowe, presidente executivo do MoviePass e um dos executivos fundadores do Netflix, o conservacionista neozelandês Pete Bethune, e a presidente da fundação Arthur C. Clarke, Walda Roseman. Por trás de todos esses grandes nomes, tivemos acesso a histórias de muita tentativa e erro, garra e motivação

ESL anuncia na CPBR10 parceria com a ESPN Brasil

Os jogos eletrônicos ganharam uma área com palestras, workshops e até sessões de teste. Os campeonatos de games atraíram atenção com o “Street Fighter V”, “League of Legends” e “PES 2017”. Foi possível experimentar o lançamento “Resident Evil 7” na realidade virtual, com ajuda dos óculos PlayStation VR. Na 10ª edição, a Campus Party promoveu o primeiro campeonato brasileiro de corrida de drones. Também foi agitada pela batalha de robôs promovida pela Submarino na Open Campus.

Na era da internet das coisas

A Campus Party estimulou a importante discussão sobre a Internet das Coisas (IoT – inglês), que pode ser entendida como a capacidade de capturar, analisar e agir por meio de dados gerados por objetos e máquinas conectados à Internet.

Quem quiser sobreviver a revolução tecnológica em curso passará pela otimização de novos produtos, proporcionadas pela internet que liga coisas e tecnologias. Os participantes foram incentivados a pensar em como inovar em um mundo totalmente conectado. Neste conceito aplicam-se as soluções encontradas pelos campuseiros, expositores e palestrantes nas mais variadas áreas do conhecimento, mas com o mesmo objetivo de conectar pessoas e coisas.

Cidades inteligentes e Big Hackathon

A conexão das tecnologias com o comportamento e necessidades humanas, estimula novos olhares para projetos que tragam benefícios à sociedade. Entre os projetos apresentados na Campus Party 2017 destacamos: Cidades Inteligentes e o Big Hackathon.

A Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, em parceria com a Campus Party Brasil, anunciou projeto Cidades Inteligentes, que criará um ranking de “cidades inovadoras”, irá compreender os municípios que conseguem aplicar tecnologias de última geração para trazer qualidade de vida e prestação de serviços à população. A primeira lista deverá ser apresentada na edição de 2018.

Fórum sobre cidades inteligentes e humanas definiu os rumos para os próximos anos de CPBR

O projeto conta com importantes aliados como o Big data e analytics, que convergem no conceito de cidades inteligentes ao utilizar tecnologias para desenvolver soluções inovadoras que melhoram os serviços prestados à população. Um exemplo cidade é o sistema de análise de dados para projetos públicos implementado nos EUA por Barack Obama.

Os participantes demonstraram muita disposição, passavam madrugada trabalhando em projetos de tecnologia. Na maratona de desenvolvimento Big Hackathon, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), os programadores ficaram empenhados em projetos para impulsionar o desenvolvimento sustentável. O desafio deles era apresentar soluções que contribuam com a humanidade por meio da tecnologia.

Estímulo ao empreendedorismo

O mercado está aberto às novas ideias e modelos de negócios que melhorem a vida em sociedade. Os exemplos se multiplicam, o Uber e Cabify, apps de transporte urbano. A consolidação das mídias digitais também coloca o mundo neste caminho, ao trazer novas oportunidades. Uma empresa pode ser promovida em qualquer lugar, com celular em mãos você pode utilizar os vários formatos e linguagens e dar vida on.

Neste sentido, a Campus Party também estimula o empreendedorismo com o projeto Startup&Makers. Foram selecionados 160 novos negócios, sendo 80 deles em Growth Stage, projetos em estágio mais avançado, que já tem faturamento. Outras 80 startups foram classificadas na categoria Early Stage – projetos pouco avançados, com primeiros protótipos criados e testados, ainda sem investimento.

Espaço das mulheres

Um dos maiores nomes brasileiros na astronomia Duilia de Mello, defendeu durante a Campus Party o espaço da mulher em todas as áreas do saber. “É importante que 50% dos cientistas seja mulher porque a sociedade é assim. As mulheres são diferentes dos homens, e encontram soluções que os homens não conseguem”, afirmou.

Mundo dos eSports

O mundo dos jogos conquista um novo patamar, passam a ser disputados como esporte, os chamados eSports. Times de futebol em todo mundo já ultrapassam a linha dos gramados e possuem suas equipes de eSports. Para o gerente-geral da desenvolvedora de games Riot, Roberto Lervolino, este é o momento da “vingança dos nerds”. Ele desabafou dizendo que é preciso vencer a desconfiança. “Existe jogador que treina de 8 a 10 horas por dia, tem treinador, tem patrocinador. Cara, o que tá faltando para ser esporte?”, afirma Lervolino.

Falando a mesma língua

A Ford aproveitou a 10ª edição da Campus Party Brasil para compartilhar o que pensa em conectividade e mobilidade. Foi desenvolvido para o evento o quiz Unlock, para testar os conhecimentos em tecnologia automotivas e de conectividade dos participantes.

Também foi proporcionado o teste drive do Ford Fusion Hybrid, com óculos de realidade virtual, os participantes da Campus Party puderam entender como funciona a tecnologia de propulsão verde e os recursos semiautônomos e de conectividade do sedã de luxo. Com motores elétrico e à gasolina, o carro é um dos mais econômicos do País e um ícone de sustentabilidade.

Os campuseiros também tiveram outras experiências proporcionadas por empresas.Em parceria com a Rádio Geek, rádio oficial da Campus Party 2017, o Escape Hotel apresentou um game interativo, com uma sala de jogos de fuga exclusiva, o desafio era desvendar os enigmas e sair do ambiente que estava montado.

Tecnologia de todos e para todos

Com um década, a Campus Party edição 2017 mostrou a cara da tecnologia e os desafios que ela carrega. As mais de 80 mil pessoas que passaram pelo evento viram um show de criatividade, empreendedorismo e compromisso com a inovação. As novas tecnologias aplicadas ao cotidiano podem ter a cara jovem, mas precisam ser compartilhadas e aplicadas por quem viu estes jovens crescer. Permanecer no mercado é uma questão de aprender a se reinventar a todo o instante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *